Monumentos

Freguesia de Santa Maria, São Pedro e Sobral da Lagoa

O Pelourinho da vila

O Pelourinho de Óbidos é o "padrão" que simboliza os poderes e autonomia do município. Este marco define o "centro" simbólico do poder e foi erigido na sequência da outorga do Foral, datado de 20 de Agosto de 1513, documento legislativo que estabelecia as regras de funcionamento da autarquia em face da Coroa e dos membros da comunidade civil.

O pelourinho de Óbidos, outrora em frente dos Paços do Concelho manuelinos, foi deslocado para a Rua Direita e centrado com o chafariz da Praça de Santa Maria, aquando das profundas transformações urbanísticas mandadas executar pela rainha D. Catarina de Áustria, mulher do rei D. João III.

A coluna, assente num supedâneo de três degraus e coroada com uma pinha, apresenta, ainda, as marcas de uma argola de metal onde, eventualmente, os condenados seriam expostos para humilhação pública e porta as Armas Reais e as armas pessoais da rainha D. Leonor de Lencastre (mulher de D. João II), onde se observa uma rede. Estas armas de D. Leonor foram, durante muito tempo, o brasão da Vila de Óbidos e representam as redes que recolheram o corpo, já sem vida, do Príncipe D. Afonso, único filho varão herdeiro de D. João II, morto por afogamento no Rio Tejo junto à cidade de Santarém.

Partilhar: