Cultura

Freguesia de Santa Maria, São Pedro e Sobral da Lagoa

Rancho Folclórico e Etnográfico do Arelho

O Rancho Folclórico e Etnográfico do Arelho foi fundado a 5 de Janeiro de 2003 sendo a sua primeira atuação a 3 de Agosto desse mesmo ano.

Desde a sua fundação tem efetuado recolhas da cultura tradicional do Arelho e aldeias circundantes.
Nas suas recolhas constam modas de baile, cânticos de trabalho, de taberna e domésticos, orações, entre outros.

O grupo apresenta-se com trajes de trabalho, domingueiros e de feira. Esforça-se para preservar e divulgar os instrumentos tradicionais como, gaita-de-beiços, pífaro-de-cana, gaita-de-foles, harmónio, bandolim, cavaquinho, viola, almude, pinhas e enxofrador.

O Rancho do Arelho é parte integrante do Centro Social Cultural e Recreativo Arelhense, é sócio e membro da direção da Associação Folclórica da Região de Leiria - Alta Estremadura e sócio aderente da Federação do Folclore Português.

É organizador do Serão de Música Tradicional do Arelho, do Festival Nacional de Folclore do Arelho, da Festa de Folclore “Tradições d’aldeia” e do Serão de Cânticos ao Menino Jesus.

Desde a sua fundação já participou e cerca de 60 festivais de folclore e encontros de tocadores de instrumentos tradicionais, colaborou com o Municipio de Óbidos na criação do Cancioneiro Tradicional de Óbidos, e com o Instituto Politécnico de Leiria na criação dos livros "Visões Cruzadas – Um Retrato da Lagoa de Óbidos" e "Lagoa de Óbidos – Guia para a Interpretação do Património".

Pelos altos préstimos à cultura tradicional do concelho foi condecorado com a medalha de mérito cultural da Câmara Municipal de Óbidos.

Assim Rancho Folclórico e Etnográfico do Arelho garante que se esforça para dignificar a cultura tradicional do seu povo.



Rancho Folclórico e Etnográfico da Capeleira

O grupo foi fundado em 1972 apenas com marchas de Carnaval e quatro ou cinco danças de Folclore mas nesse mesmo ano por carolice e por gosto por esta atividade, por iniciativa do Sr. Casimiro Marques surgiu o Rancho Folclórico da Capeleira.

Só em 1986 foi constituída associação para em 2000 com aprofundamento das pesquisas etnográficas, se tornarmos Rancho Folclórico e Etnográfico da Capeleira. Em 2005 foi formado o rancho infantil, pois esta formação é uma aposta do nosso grupo, para assim assegurarmos a continuação do trabalho desenvolvido.

Os trajes são inspirados nas lides da lavoura pois essa era a atividade predominante da época que representamos. Desde 2004 temos também um grupo de danças medievais renascentistas para atuar em feiras e mercados medievais ou outros eventos dentro do contexto, denomina-se: “Grupo de Danças Antigas Josefa D’Óbidos”.

Em 2012 iniciámos a atividade musical com a formação do grupo “Grupo de Música Antiga Josefa D’Óbidos” composto por flautas, timbalão e crumhorns, com total de seis músicos.


Alma Nova - Grupo Coral e Instrumental do Concelho de Óbidos

O Alma Nova - Grupo Coral e Instrumental do Concelho de Óbidos, em funções desde 1982,
tem um repertório que engloba todas as épocas da história da música ocidental e,
particularmente na música portuguesa, destaca-se na divulgação do compositor obidense
natural do Senhor Jesus da Pedra, José Joaquim dos Santos, um dos maiores compositores da
2.a metade do séc. XVIII, no nosso país.


Tem participado em vários festivais de música e encontros de coros no país (continente e
ilhas), tendo também acolhido alguns deles.


Participou nas celebrações do centenário da morte de S. Vicente, na Sé de Lisboa, em 2006.
Actuou, em directo, na Antena 1, na apresentação das Sete Maravilhas de Portugal e, na
RTP1, no “Programa das Festas”, em 2007.


Em 2013, teve diversas participações: Escola Secundária Rafael Bordalo Pinheiro, em Caldas
da Rainha; Aldeia Galega da Merceana; Gala do Concelho de Óbidos; Festival do Chocolate,
em Óbidos; celebrações da Semana Santa, em Óbidos; Eucaristia do 100.º Aniversário da
Caixa de Crédito Agrícola de Caldas da Rainha, Óbidos e Peniche; Feira do Livro, em
Óbidos; Mercado Medieval, em Óbidos; cerimónia de Classificação como Património Imóvel
de Interesse Público do Santuário do Senhor Jesus da Pedra; Museu José Malhoa, em Caldas
da Rainha, pela ocasião dos serões musicais “Música à Quinta” e no Dia Mundial da Música;
participação na sessão de lançamento da Operação 10 Milhões de Estrelas - Um Gesto pela
Paz 2013, a convite da Caritas Portuguesa, no dia 19 de Novembro, em Lisboa, e por fim,
participação na Percurso Cantante integrado na Óbidos Vila Natal, nos dias 14 e 15 de
Dezembro.


Em 2014, destacam-se os concertos com a Banda da União Filarmónica de A-da-Gorda nos
dias 5 e 11 de Janeiro, pela ocasião da Festa em honra do Senhor Jesus dos Aflitos e nas
comemorações do Feriado Municipal, respectivamente; ainda em Janeiro, dia 10,
comemoração do 21.º aniversário do falecimento de Odette de Saint-Maurice.


A 22 de Fevereiro, convidámos a Banda da União Filarmónica de A-da-Gorda, em Óbidos,
para a celebração do nosso 32.º aniversário, cumprido a 18 do mesmo mês.
A 9 de Março, oferta, à população do concelho, de um concerto no Salão Millennium, no
Caldas Internacional Hotel, e outro, nas instalações do “Bowling”, ambos de Caldas da
Rainha.


Em Dezembro, por ocasião do Natal, recebemos os grupos corais de Abrigada, no concelho de
Alenquer, e do Cadaval.


Em 2015, acolhemos o Coro Municipal da Lourinhã, na celebração do nosso 33.º aniversário,
a 21 de Fevereiro.


A 8 de Fevereiro, cantámos as “Janeiras” com o Grupo Coral Vila Forte, de Porto de Mós, em
Calvaria de Cima, naquele concelho.


A 30 de Março, realizámos um concerto de música sacra, no âmbito da Semana Santa, além
de termos assegurado o acompanhamento musical das celebrações desta época religiosa.


A 19 de Abril, participámos de um encontro de coros com um grupo local, "Canticus Cameræ
- Coro de Câmara da Assembleia Figueirense", na Igreja de São Julião, na Figueira da Foz.


A 9 de Maio, participámos, em Alpiarça, de um encontro com o Orfeão da Sociedade
Filarmónica Alpiarcense 1.º de Dezembro e o Grupo Etnográfico “Os Serranos”, de
Belazaima do Chão, no concelho de Águeda.


A 21 de Junho, participámos do 1.º ECO - “Encontro de Coros do Oeste” - organizado e
acolhido pelo Município da Lourinhã.


Em 2016, celebrámos o nosso 34.º Aniversário, com a presença do citado grupo "Canticus
Cameræ - Coro de Câmara da Assembleia Figueirense" e, mais uma vez, assegurámos as
celebrações da Semana Santa de Óbidos.


Em 2017, além da participação no VI Encontro de Coros da Junta de Freguesia de Paranhos
(Porto) e celebração do 3.º Aniversário do Orfeão de Paranhos, a 15 de Janeiro de 2017,
repetimos a participação nas celebrações da Semana Santa de Óbidos, tendo, ainda,
participado do Mercado Medieval de Óbidos, em Julho.

Maestro:

Fernando Lino, natural de Torres Vedras, iniciou aos 12 anos os seus estudos musicais na
Banda de Música da Sociedade Filarmónica Incrível (S. F. I.) Aldeia Grandense, com o
professor Gonçalo Silva, tendo, como 1.º instrumento, Bombardino; frequentou aulas de
formação musical e órgão, com o professor Raul Onofre, na Academia Musical Vitorino
Matono. Aos 18 anos, na Banda do Exército, foi colocado como instrumentista de Trombone
de Varas.


Em 1998, como Monitor e com a colaboração do Maestro José Silva, reestruturou a Escola de
Música da S. F. I. Aldeia Grandense.


Frequentou diversos Cursos de Direcção de Bandas e Orquestra.
Concluiu o Curso de Pedagogia Musical (5.º Grau) da Associação Wuytack de Pedagogia
Musical, com o professor Jos Wuytack.


Actualmente, é professor de Educação Musical de Actividades Extra Curriculares no
Município de Óbidos; é Maestro na Banda de Música da União Filarmónica de A-da-Gorda e,
simultaneamente, coordenador da Escola de Música da mesma Banda e, desde Setembro de
2012, Maestro do Alma Nova - Grupo Coral e Instrumental do Concelho de Óbidos.

Corpos Gerentes:

Direcção
Presidente - Lisete Medeiros
Secretário e Tesoureiro - João Borges

Presidente da Assembleia - César Delgado

Presidente do Conselho Fiscal - João Lucas

Grupo Coral Alegria da Nossa Terra

O Grupo Coral "Alegria da Nossa Terra" foi fundado a 21 de Janeiro de 2016 e é parte integrante do Centro Social Cultural Recreativo Arelhense.

Tem como objetivo interpretar um reportório de cariz popular sob a direção da maestrina Sylvie Simão.


Associação

Desde 2009 que somos Associação Josefa D`Óbidos temos vindo a desenvolver varias areas entre as quais a cultural com dança de época onde podemos nos apresentar com danças de povo medieval com nome de "Toupeyros Medyevos" , dança de corte medieval renascentista como "Grupo Josefa D`Óbidos" e também já desenvolvemos danças do século XVII apresentamos em vários locais , mercados , festas temáticas incluindo a vila de Óbidos.

Desde 2011 que desenvolvemos a Escola de Patinagem Artística da Associação Josefa D`Óbidos por ser um desporto que não era desenvolvido neste concelho .

A maior fonte de rendimento da associação é a área de aluguer e confecção de trajes de época onde já estamos reconhecidos a nível nacional e internacional, participamos em feiras, mercados medievais festas temáticas , casamentos etc. por todo o pais , ilhas e Espanha como a procura foi aumentando tivemos a necessidade de termos um espaço físico onde estamos a funcionar diariamente e onde qualquer visitante de Óbidos nos pode encontrar, abrimos uma loja na Rua Direita nº 58 em Óbidos com o nome de Metamorphosys.

Partilhar: